Ano IV

Filmografia comentada – Por Sérgio Alpendre
Belíssima – Por Beatriz Saldanha
Violência e Paixão – Por Ernani Bessa
Glauber e Visconti - Por Rodrigo C…

Elle (2016), de Paul Verhoeven
É preciso fazer sempre a apologia da violência, em tempos de conflito ou paz. O cinema nasce da violência (corta!) e morre com o sexo, diria Orson W…

Balanço do 49º Festival de Brasília, por Sérgio Alpendre
A seleção de 2016 revelou-se muito mais variada do que eu esperava. Houve filmes de todos os tipos, desde o suprassu…

A mise-en-scène bate à porta: O Exorcista e duas continuações
Por Wellington Sari
Casa
Se a possessão é uma forma de invasão domiciliar, é coerente que a arquitetura da mi…

As incólumes paredes do aquário
Por Marina Fuser
Vivemos um tempo de Deus nos acuda, de grandes desilusões, de colapsos e cataclismas. E ainda assim, no olho do furacão, algu…

Café Society (2016), de Woody Allen
Ao se aproximar o trigésimo minuto de projeção de Café Society, uma imagem que a princípio poderia parecer periférica – um sutil gest…

O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine´s Home For Peculiar Children, 2016), de Tim Burton
O que faz de O Lar das Crianças Peculiares melhor do que os recentes filmes que T…

Ave, César! (Hail, Caesar!, 2016), de Joel e Ethan Coen
Ave, César! não quer enrolar seu espectador. Assim, desde a primeira cena coloca à mesa tudo o que poderíamos esperar d…

As Montanhas se Separam (Shan he gu ren, 2015), de Jia Zhang-ke
Em seu filme anterior, Um Toque de Pecado, Jia Zhangke propunha uma releitura de seus temas centrais sob o viés do imp…

Sam Peckinpah e a Nova Hollywood – Por Sérgio Alpendre
A balada do desaparecimento – Por Wellington Sari
As ruínas da civilização americana – Por Guilherme Savi…

Breve introdução ao cinema de Rita Azevedo Gomes
Por Sérgio Alpendre
Se há uma cinematografia que pode nos ensinar muito neste século, esta é sem dúvida a cinematografia p…

O autorretrato: Parmigianino em Mario Bava
Se muito já se escreveu sobre a relação entre o maneirismo no cinema e na pintura, existe ainda um gesto pouco explorado: o toque entr…

LANÇAMENTOS EM DVD – 2016
Por Sérgio Alpendre
* Com a exceção de Kwaidan, Nijinski e Todas as Manhãs do Mundo, os textos aqui presentes foram publicados inicialmente, com p…

A importância de ser arte
Por Rodrigo Cássio Oliveira
Pode o filme ser arte? Outro dia estava em uma palestra no Media Lab da UFG, e uma pessoa do público questionou se a arte dig…

Mãe Só Há Uma (2016), de Anna Muylaert
A primeira surpresa com relação a Mãe Só Há Uma, quinto longa de Anna Muylaert, é a percepção (que pode ser enganosa) de que a direto…

© 2016 Revista Interlúdio - Todos os direitos reservados - contato@revistainterludio.com.br